Notícias

COMUNICAÇÃO | Ausência do Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho na Monumental Serenata do Enterro da Gata'19

COMUNICAÇÃO | Ausência do Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho na Monumental Serenata do Enterro da Gata'19

A Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), para efeitos de esclarecimento público e de reposição da verdade dos factos, face ao comunicado emitido pelo Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho (GFSUM), vem por este meio pronunciar-se sobre a ausência deste grupo cultural na Monumental Serenata da próxima sexta-feira, dia 10 de maio, inserida na programação das Monumentais Festas do Enterro da Gata 2019.

A valorização da cultura e das tradições académicas é uma das missões basilares da AAUM. O Departamento Cultural & Tradições Académicas, de longa existência na estrutura da direção da AAUMinho, tem vindo a desenvolver esforços para manter, criar e promover a existência de atividade cultural, no seio da Academia Minhota, na qual se inserem os inúmeros momentos e espetáculos promovidos anualmente, como a Récita do 1º de Dezembro, o Sarau Cultural, a Monumental Serenata ou as Serenatas Velhas.

Noutra dimensão da ação deste departamento, a AAUM promove a auscultação ativa das necessidades dos grupos culturais na prossecução da sua missão, subsidiando a sua atividade através do Plenário de Grupos Culturais da Universidade do Minho, com uma comissão executiva composta e eleita unicamente pelos grupos culturais pertencentes a este órgão, no qual a AAUM ocupa uma posição meramente observadora.

A decisão do Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho em colocar um término à sua presença no Plenário de Grupos Culturais em nada se deve, por isso, à direção da AAUM, que nunca teceu  quaisquer considerações sobre as razões que levaram à saída do grupo, estando, no entanto, convicta de que o Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho estaria consciente das consequências diretas da sua decisão, em particular, de que deixariam de poder financiar-se a partir dos subsídios concedidos pela AAUM e pelos Serviços de Ação Social da Universidade do Minho.

No seguimento da preparação das atividades culturais inseridas nas Monumentais Festas do Enterro da Gata 2018, foi indicado pelo grupo cultural ao presidente da AAUM que a sua participação estaria condicionada à existência de uma comparticipação financeira direta para suporte de custos relacionados com o funcionamento do grupo. A AAUM sempre comparticipou todos os custos diretamente relacionados com esta atuação. Ainda assim, por ausência de tempo útil para promover soluções alternativas e na perspetiva da manutenção de uma boa relação institucional para com este grupo cultural, deliberou a anterior direção aceitar as condições impostas pelo grupo, no que concerne à Monumental Serenata de 2018.  

Não deixamos, no entanto, de registar a não diferenciação deste grupo perante a atividade cultural desenvolvida pela AAUMinho à de qualquer outra entidade, como, aliás, é reiterado pelo Presidente do GFSUM, em comunicação do passado dia 7 de maio, citando-se: “logicamente que, saindo do Plenário, e ao deixarmos de receber verbas dos SASUM e da AAUM, teríamos que cobrar pelas atuações, como fazemos com qualquer entidade, e a AAUM não é diferente”. 

Não obstante, no decorrer do mandato de 2019, decidiu a Direção da Associação Académica da Universidade do Minho, no intrínseco respeito pela tradição e valores académicos, expor este dilema junto do Plenário de Grupos Culturais, tendo sido registada a manifesta vontade dos presentes em produzir soluções alternativas. Ainda assim, a direção da AAUM comunicou ao GFSUM a vontade de contar com a presença deste grupo na Monumental Serenata da presente edição do Enterro da Gata. Sem surpresas, porém, as exigências impostas foram as mesmas, decidindo a direção da AAUM embarcar por novas soluções.

Os estudantes da Academia Minhota são os principais responsáveis pelas tradições académicas que hoje, de forma tão honrosa, reconhecemos como nossas. Em 1989, a direção da AAUM mergulhou na história da região Minhota, criando o traje académico, as muitas e distintas tradições que hoje se mantêm na programação cultural da Academia e substituindo a Semana Académica de Braga pelas Monumentais Festas do Enterro da Gata. Hoje, 30 anos depois, podemos orgulhar-nos de ser únicos, autênticos, distintos, sem nos condicionarmos àquilo que é ou não feito nas outras Academias. 

Por outro lado, consideramos que tratar a Associação Académica da Universidade do Minho como qualquer outra entidade é tratar os estudantes da Universidade do Minho da mesma forma. Uma instituição como a AAUMinho, não pode, por isso, tornar-se refém de um grupo cultural para fazer cumprir a tradição e, muito menos, apenas para as tradições que ao grupo em si lhes parece interessar. Não é justo que um grupo que se diz ser “discriminado” por não estar num plenário, se ache no direito de discriminar as atividades onde quer participar. Não é justo cobrar aos estudantes por decisões tomadas em sede própria.

Consultado o histórico, pelo menos desde 2016, não existem sequer registos da participação do Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho na Récita do 1º de Dezembro ou nos Saraus Culturais promovidos pela AAUMinho, também eles momentos fundamentais na prossecução da identidade cultural da Academia e no estabelecimento de uma cultura de proximidade para com a comunidade académica.

Constatamos, ainda, com profundo espanto e lamento que o mesmo grupo que diz não ter condições para participação na Monumental Serenata sem o apoio financeiro da AAUM se encontra, em protesto, a promover um momento cultural alternativo à Monumental Serenata, considerando que esta atitude é reveladora do comportamento altamente incoerente e injustificável demonstrado pelo Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho, no contexto de uma relação, como os próprios indicam, de mais de 17 anos de participação na atividade cultural promovida na Academia Minhota.

Por fim, importa esclarecer à comunidade estudantil que este comunicado surge apenas e só em resposta às ações e atitudes promovidas pelo Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho, tendo sido sempre evitado, por profundo respeito ao bom nome da Academia Minhota e das suas tradições académicas, bem como, pelo próprio grupo cultural em causa, qualquer consideração sobre este assunto.

Há 30 anos atrás, a Academia foi capaz de se reinventar. Sem medo de ser única e autêntica. Nunca poderá ser o grupo a prestigiar o momento. É sempre o momento que prestigia o grupo. É sempre a Academia que prestigia a tradição. Amanhã, uma vez mais, honremo-la. Vamos encher o Largo do Paço de capas negras, ao som da música que produzimos a partir do “nosso” Minho. Vamos cumprir a tradição que escolhemos. Vamos escolher não nos tornarmos reféns de protagonistas ocasionais. Porque nas Monumentais Festas do Enterro da Gata, o protagonismo deve ser dos estudantes.

 

09 de maio de 2019,
A Direção da Associação Académica da Universidade do Minho.

Bilheteira online

Compra já o teu bilhete!