Notícias

Quarta, 17 de maio | De quarentena se encheu o Gatódromo

Quarta, 17 de maio | De quarentena se encheu o Gatódromo

Depois de uma tarde de folia pelas ruas de Braga no Cortejo Académico, chegou a famosa noite da Quarta-feira académica. O Coro Académico da Universidade do Minho abriu o palco do Enterro da Gata cantando músicas como "A gente vai continuar" de Jorge Palma e "Ilha de Santiago", música preparada para a próxima digressão, a Cabo Verde. Seguiu-se a apresentação da Tuna de Medicina da Universidade do Minho, que presenteou o público com ritmados temas musicais, como "Vida boémia" e "Forastero", já conhecidos pelo público. Após os grupos culturais, chegou a vez do grupo Kalhambeke subir ao palco do Gatódromo e apresentar temas conhecidos, com muita animação, atraindo o público para dançar ao ritmo das suas músicas. Quim Barreiros foi o último a subir ao palco desta noite, como já tem sido habitual nas edições anteriores do Enterro da Gata. Com um espetáculo já característico pelas suas famosas canções e enorme interação com o público, o cantor pôs os estudantes a dançar e a cantar temas como "Mestre da culinária" e "Os bichos da fazenda". Pelas 2h30, chegou um dos…

Cortejo académico | O fim de mais uma Era

Cortejo académico | O fim de mais uma Era

Com início marcado para as 14h no largo Monte de Arcos, em Braga, começou assim mais um cortejo académico, debruçando-se sobre o tema “A Gata de quarentena”. 54 camiões, cada um afeto a um curso da Academia Minhota, “vestidos” a rigor e com ambiente de festa e boa disposição, partiram para as ruas de Braga, decorados com os melhores adereços possíveis e dignificando o melhor possível cada curso. Para uns era o início de uma nova fase, o início daquela que é a primeira grande Semana Académica das suas vidas. Por outro lado, para outros, era a despedida, o fim de uma etapa. Talvez a melhor etapa que já viveram. Se a felicidade e contentamento de uns era bem visível, as lágrimas, os rostos vazios e o sentimento de saudade imperavam naqueles que se despediam da sua Academia, daquela que foi, durante alguns anos, a sua segunda casa. Carro após carro, cada um dava o melhor de si, para orgulhar o seu curso, a Academia e aqueles que outrora os orgulharam. Se para uns, a diversão e os momentos de…

HMB - "Tem sido uma onda de entusiasmo para nós!"

HMB - "Tem sido uma onda de entusiasmo para nós!"

Como correu o concerto? Correu muito bem, o concerto foi fácil. O público estava connosco desde o início, queriam muito fazer a festa e quando é assim, facilitam-nos muito a tarefa. O vosso estilo é muito peculiar. Numa onda muito funk e R&B, como se sentem com a grande adesão do público português? Tem sido uma onda de entusiasmo para nós! E sim, o facto de nos receberem bem é muito bom. Já antes, outros desbravaram este caminho mas tem sido uma onda de entusiasmo. Queremos muito continuar a dar esta sonoridade ao público português. Quais são as inspirações para a vossa música? Hoje em dia, é um monte de coisa, uma lista imensa. Nós temos algumas coisas em comum, já falamos muito sobre isso. Hoje em dia, tudo o que é contemporâneo, desde Kendrick Lamar a Bruno Mars. Nós também ouvimos muita coisa diferente porque somos cinco pessoas e ouvimos tudo o que é contemporâneo de R&B e Soul. Por exemplo, hoje estávamos a ouvir um artista chamado Gabriel Garçon e tudo isto acaba por nos influenciar para fazermos…

Virgul - “Estou muito feliz por estar de volta à música!”

Virgul - “Estou muito feliz por estar de volta à música!”

Como é que correu o concerto? Correu muito bem! Apesar de ter apenas três singles, no sentido em que se acaba por tocar cerca de 10, 12 músicas. É sempre difícil criar empatia quando as pessoas não conhecem as músicas assim à primeira vez. Aquela fase dos Da Weasel é boa para o pessoal recordar e para eu tentar criar empatia com o público. A verdade é que tenho conseguido e os concertos têm corrido bem. Hoje não foi exceção. Eu gosto de estar próximo do público e gostava ainda de ter estado mais próximo. A partir do tema "I Need This Girl" as coisas subiram e correu super bem. E como é voltar aqui agora com uma carreira a solo? É ótimo! Estou muito feliz por estar de volta à música! Houve uma altura em que pensei que já tinha dado tudo e que, se calhar, deveria seguir outro caminho. Mas é fixe, é muito bom ver que o trabalho está a ser reconhecido, que o regresso fez sentido e tenho sido super acarinhado. As suas músicas estão a…

AAUM
AAUM 40 Anos

Bilheteira online

Compra já
o teu bilhete!